Cinema

Espaço linhas+- ATamanho da fonte+-

O cinema em Contagem teve início no século XX, quando o vigário Joaquim Martins, por volta de 1911, demoliu boa parte da Igreja Matriz, visando ampliá-la. Como forma de arrecadar dinheiro para a reforma da igreja, solicitou ao Executivo Municipal, no dia 31 de julho de 1914, uma licença para abertura de uma sala de exibição cinematográfica no teatro de Contagem, que passou a ser chamada de Cinema Contagense. Entretanto, só entrou em funcionamento em 1915, sobre a gerência do sr. Acylino Diniz, secretário da municipalidade e coletor. Entre os primeiros filmes podemos destacar Siena, Gontram Candidato, O Triunfo da Força, Tontolino, Don Juan, O Invisível, A Doutra e o Cinematógrapho. Resolvido a questão financeira, o padre vendeu a aparelhagem cinematográfica.
Nos anos de 1927, Thiers do Bom Conselho apresenta uma proposta de parceria com a Câmara Municipal para abertura de uma sala de cinema, que começou a funcionar em novembro de 1927. Com a demolição do antigo Teatro de Contagem em 1968, surge em seu lugar um novo Cine Teatro, inaugurando em 1969. Na década de 1970, o cinema em Contagem ganha força, em especial com os filmes de Tony Vieira, cineastra que chegou em Contagem aos 12 anos de idade de Dores do Indaiá. Trabalhou na Companhia de Cimento Portland Itaú e a convite de José Sebastião Carneiro Filho, entrou na TV Itacolomi, atuando em telenovelas, onde fez sucesso na novela A Garrafa do Diabo. Com apoio de Moacir Franco, ganhou projeção nacional, atuando em filmes de Mazzaropi. Criou a sua própria produtora a MQ, iniciais do seu nome verdadeiro (Mauri de Oliveira Queiroz).
Tony Vieira produziu e atuou em cerca de 30 filmes. Em Contagem rodou dois filmes: Traídas pelo Desejo em 1976 e Os Depravados em 1978. Seu filme mais bem-sucedido, Desejo Proibido, de 1974, levou aos cinemas mais de 1 milhão de espectadores. O Acervo cinematográfico de Tony Vieira pertence a Fundação Municipal de Cultura de Contagem. Entretanto, esse acervo está sob a guarda do Centro de Referência Audiovisual - CRAV.
Atualmente, Contagem vem surpreendendo pela produção cinematográfica, seja com curtas metragem ou longas metragem. Esses jovens cineastas têm conquistado prêmios importantes como o 1o Prêmio BDMG
Cultural/FCS de estímulo ao curta-metragem de baixo orçamento de Minas Gerais, conquistado por Dayane
Gomes, do Bairro Tropical e Gabriel Martins Alvez, do Bairro Milanez. Outro cineastra que saiu consagrado da 17a Mostra de Cinema de Tiradentes foi Affonso Uchoa, morador do Bairro Nacional, de 29 anos. É dele o
longa A Vizinhança do Tigre, que levou o Prêmio Itamaraty para o melhor filme, concedido pelo júri da crítica,
e também o de melhor filme para o júri jovem.
A Filmes de Plástico é uma produtora audiovisual criada em Contagem, em Abril de 2009. É formada por André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia. Desde o início, tem produzido de curtas a longas metragem de ficção a documentários, videoclipes e vídeos institucionais. O filme inaugural foi Filme de Sábado, dirigido por Gabriel Martins e lançado no Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2009, onde ganhou prêmio de Pesquisa de Linguagem. Fantasma foi outro filme de André que venceu 15 prêmios e foi exibido no 14o Festival Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira em Portugal e em outros países. Contagem, filme realizado como projeto de conclusão de curso por Gabriel Martins e Maurílio Martins recebeu vários prêmios e em 2013, André Novais Oliveira dirigiu o curta Pouco Mais de um Mês que foi selecionado na Quinzena dos Realizadores em Cannes. O filme ganhou uma Menção Especial do Júri no festival francês e outros 13 prêmios em diversos festivais do mundo. Foi ainda selecionado para diversas outras mostras como em Lisboa, Cartagena, Festival do Rio e Janela Internacional de Cinema de Recife.
Na última Mostra de Tiradentes foram exibidos os três novos filmes da produtora. O longa-metragem Aliança, dirigido por Gabriel Martins, João Toledo e Leonardo Amaral, e os curtas Mundo Incrível Remix, curta dirigido por Gabriel Martins e Quinze, dirigido por Maurílio Martins. A Filmes de Plástico continua em plena atividade em Contagem. Desafios:
•    Ampliar as ações do Cinema na Praça.
•    Criar Cine Clube nos Centros Culturais da Fundac.
•    Apoiar projetos de audiovisual através do FMIC.
•    Promover projetos de mostras específicas de cinema.
•    Promover cursos de multimídia em parceria com o Pronatec.
•    Restaurar o Cine Teatro Tony Vieira, com sala de exibição de cinema.
•    Realizar o Primeiro Festival de Cinema de Contagem.
•    Criar videoteca e implementar acervo na biblioteca pública sobre cinema.

Cursos

Espaços Culturais